“Quero contar a vocês um pouco da minha história.
Minha paixão por amigurumis começou por acaso ou talvez destino, não sei!
Desde pequena sempre fui ligada as artes, minha alegria era desenhar e eu desenhava muito!!! Quando me perguntavam o que eu queria ser quando crescesse, a resposta era sempre a mesma: vou ser arquiteta! E assim foi… fiz faculdade de arquitetura.
Lá vivi momentos intensos de criação nas aulas de plástica e projeto e me fascinava com as aulas de história da arte.
Trilhei por este caminho durante 15 anos e em 2015 com o início da crise no Brasil, perdi meu emprego e tentei empreender. Montei uma loja que funcionou durante 1 ano e não deu certo.
Depois disso, enfrentei uma hérnia de disco grave e quando me dei conta estava entrando em um estágio depressivo.
Em um desses momentos de tristeza resolvi que faria algum trabalho manual para tentar me distrair, tentei o tricot e logo me lembrei que quando pequena uma tia, muito querida, havia me ensinado alguns pontos de crochet e foi nessa hora que me vi as voltas com o mundo dos amigurumis.
Pensei se seria capaz de executar uma peça e entrei no desafio.
Quando a minha primeira peça ficou pronta tive uma das melhores sensações da minha vida. Sim, sou capaz e consegui vencer a depressão!
O que mais me fascina nos amigurumis é ver que de uma linha, assim como na arquitetura, surge arte. Uma arte que encanta a muitos.
Não me canso de querer crochetar e trazer ao mundo essas fofuras.
Sou apaixonada assumida pela arte dos amigurumis. Crochetar é meu maior presente!”